Pirraça

O nome poltergeist tem origem no alemão e pode ser traduzido livremente como fantasma barulhento, embora nem seja, estritamente falando, um fantasma de fato. O poltergeist é uma entidade invisível que move objetos, bate as portas e gera outros incômodos audíveis e cinéticos. Sua existência tem sido relatada em muitas culturas e ele tem uma forte relação com lugares onde morem pessoas jovens, especialmente adolescentes. As explicações para o fenômeno vão desde uma chave sobrenatural à científica.

Era inevitável que surgisse um poltergeist num ambiente repleto de bruxos e bruxas adolescentes; também era de se esperar que esse poltergeist fosse mais barulhento, destrutivo e difícil de expulsar que aqueles que volta e meia frequentam as casas dos trouxas. Certamente, Pirraça é o poltergeist mais notório e problemático da história britânica. Ao contrário da grande maioria de seus colegas, Pirraça apresenta uma forma física, embora seja capaz de ficar invisível conforme lhe seja conveniente. Sua aparência reflete sua natureza, que, como concordam todos os que o conhecem, é uma mistura bem-lograda de humor e malícia.

Pirraça lhe é uma boa alcunha, já que ele tem sido um estorvo para todos os zeladores de Hogwarts, de Hankerton Humble (selecionado pelos quatro fundadores) em diante. Embora muitos alunos e, mesmo, professores tenham uma afeição um quê perversa por Pirraça (sem sombras de dúvidas, ele dá certo sabor à vida escolar), ele é incuravelmente intrometido e geralmente cabe ao zelador da vez dar um jeito nas suas bagunças propositais: vasos quebrados, poções derramadas, estantes derrubadas e por aí vai. Aqueles que se assustam com qualquer coisa não gostam nada das manias de Pirraça, que incluem se materializar subitamente a dois centímetros dos seus narizes, esconder-se em armaduras e jogar objetos sólidos em suas cabeças nos intervalos entre as aulas.

Da série de tentativas de remover Pirraça do castelo, nenhuma surtiu efeito. A última e mais desastrosa foi conduzida em 1876 pelo zelador Rancorous Carpe, que confeccionou uma armadilha elaborada, usando como isca uma seleta de armas que, a seu ver, seriam irresistíveis a Pirraça, e uma enorme redoma encantada, reforçada com vários Feitiços de Contenção, que ele pretendia lançar sobre o poltergeist assim que este estivesse a postos. Não apenas Pirraça rompeu facilmente a redoma gigante para sair, enchendo um corredor inteiro de cacos de vidro, como também escapou com várias espadas, balestras, bacamartes e um canhão em miniatura. O castelo foi evacuado enquanto Pirraça se divertia atirando a esmo pelas janelas e ameaçando a tudo e a todos com a morte. O impasse de três dias chegou ao fim quando a Diretora da época, Eupraxia Mole, concordou com assinar um contrato permitindo a Pirraça privilégios adicionais, tais como um mergulho semanal no banheiro masculino do térreo, a preferência do pão velho da cozinha por razões de mira, e um novo chapéu – a ser customizado por Madame Bonhabille de Paris. Rancorous Carpe se aposentou precocemente por motivos de saúde, e nenhuma tentativa subsequente de despojar o castelo de seu mais indisciplinado habitante foi jamais conduzida.

Mas Pirraça reconhece algum tipo de autoridade. Embora, em geral, não se deixe impressionar por títulos e distintivos, ele se sujeita a restrições dos professores, concordando com permanecer fora de suas salas durante as aulas. Sabe-se também que ele demonstra afinidade com estudantes raros (notavelmente Fred e Jorge Weasley), e certamente teme o fantasma da Sonserina, o Barão Sangrento.

Traduzido por: Renan Lazzarin em 19/09/2012.
Revisado por: Evandro Lira em 19/09/2012.
Postado por: Daniel Mählmann em 23/09/2012.