Câmara Secreta

A subterrânea Câmara Secreta foi criada por Salazar Slytherin sem o conhecimento de seus três companheiros fundadores de Hogwarts. Acreditaram, por muitos séculos, que a Câmara era um mito; no entanto, o fato dos rumores de sua existência persistirem por tanto tempo revela que Slytherin falou de sua criação e que os outros acreditaram nele, ou então tinham sido autorizados, por ele, a entrar lá.

Não há duvida de que cada um dos quatro fundadores estava procurando carimbar a sua própria marca sobre a escola de magia e bruxaria que acreditavam que seria a melhor no mundo. Foi combinado que cada um construiria suas próprias casas, por exemplo, escolhendo a localização das salas comunais e dormitórios. Porém, apenas Slytherin foi mais longe e construiu o que era praticamente um quartel general pessoal e secreto dentro da escola, com apenas ele e seus convidados tendo acesso ao local.

Talvez, quando ele construíra a Câmara, Slytherin não queria nada mais do que um lugar no qual poderia instruir seus alunos em feitiços que os outros três fundadores poderiam reprovar (discordâncias surgiram cedo em torno do ensino das Artes das Trevas). Contudo, era claro – devido à grande decoração da Câmara – que no momento em que Slytherin a terminou ele havia desenvolvido grandiosas ideias de sua própria importância para a escola. Nenhum outro fundador deixou para trás uma estátua gigante de si mesmo ou cobriu a escola em emblemas de seu próprio poder pessoal (as cobras esculpidas em torno da Câmara Secreta sendo uma referência aos poderes de Slytherin como um ofidioglota).

O que é certo é que no momento em que Slytherin foi forçado a sair da escola pelos outros três fundadores, ele decidiu que dali em diante, a Câmara que tinha construído seria o lar de um monstro que só ele – ou seus descendentes – seria capaz de controlar: um basilisco. Além disso, apenas um ofidioglota seria capaz de entrar na Câmara. Isto, ele sabia, manteria longe todos os três fundadores e todos os outros membros do corpo docente.

Traduzido por: Gabriel Guimarães em 02/11/2012.
Revisado por: Gabriel Amaral em 09/11/2012.
Postado por: Daniel Mählmann em 13/11/2012.