Professora McGonagall

Nascimento: 04 de outubro
Varinha: Abeto e fibra de coração de dragão, 24 centímetros, rígida.
Casa de Hogwarts: Grifinória
Habilidade Especial: Animaga (distintamente identificada como um gato malhado cinza)
Linhagem: Pai trouxa, mãe bruxa.
Família: Marido Elphinstone Urquart, falecido. Sem filhos.
Hobbies: Bordar, corrigir artigos do Transfiguração Hoje, assistir Quadribol, torcer pelo Pegas de Montrose.

Infância

Minerva McGonagall foi a primeira e única filha de um pastor presbiteriano escocês e de uma bruxa que estudou em Hogwarts. Ela cresceu nas Terras Altas da Escócia no começo do século vinte, e apenas gradualmente foi perceber que havia algo estranho, tanto com suas próprias habilidades, quanto com o casamento de seus pais.

O pai de Minerva, Reverendo Robert McGonagall, foi cativado pelo espírito elevado de Isobel Ross, que morava na mesma vila. Como seus vizinhos, Robert acreditava que Isobel freqüentava um internato inglês para damas selecionadas. Na verdade, quando Isobel desaparecia de sua casa por meses, era para Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts que ela estava indo.

Sabendo que seus pais (bruxo e bruxa) discordariam de sua relação com o sério e jovem trouxa, Isobel manteve sua florescente relação em segredo. Ao atingir os dezoito anos, Isobel já estava apaixonada por Robert. Infelizmente, ela não tinha coragem para contá-lo o que ela era.

O casal fugiu, deixando os dois pares de pais furiosos. Agora distante de sua família, Isobel não conseguia estragar o mar-de-rosas que era a lua-de-mel contando para seu encantado marido que ela se graduou em Hogwarts como a primeira da classe de Feitiços, nem que ela havia sido capitã do time de Quadribol. Isobel e Robert se mudaram para um presbitério na periferia de Caithness, onde a bela Isobel era capaz, surpreendentemente, de fazer o máximo com o pequeno salário de pastor.

O nascimento da primeira criança do jovem casal, Minerva, trouxe tanto alegria quanto crise. Sentindo falta de sua família, e da comunidade mágica que ela abandonou por amor, Isobel insistiu em nomear sua filha recém nascida com o nome de sua avó, uma bruxa incrivelmente talentosa. O nome estrangeiro causou suspeita na comunidade onde viviam, e o Reverendo Robert McGonagall achou difícil explicar a escolha de sua esposa para seus paroquianos. Além disso, ele ficou alarmado com o humor de sua esposa. Amigos afirmaram que as mulheres costumam ficar emotivas depois do nascimento de um bebê, e que Isobel voltaria ao seu estado normal em pouco tempo.

Isobel, entretanto, se tornava cada vez mais distante, frequentemente se isolando com Minerva por dias a fio. Isobel mais tarde revelou que sua filha demonstrava pequenos, mas inconfundíveis, sinais de magia desde cedo. Brinquedos que foram deixados em estantes altas eram encontrados em seu berço. O gato da família fazia seus desejos antes mesmo dela falar. As gaitas de fole de seu pai podiam ser ouvidas ocasionalmente sendo tocadas sozinhas de cômodos distantes, um fenômeno que fazia a pequena Minerva gargalhar.

Apesar de Minerva ser muito nova para lembrar daquela noite, suas conseqüências a deixaram com um amargo entendimento sobre as complicações que seriam crescer com magia em um mundo trouxa. Apesar do amor que Robert McGonagall sentia por sua esposa não ter diminuído depois de descobrir que ela era uma bruxa, ele ficou profundamente chocado por sua revelação e pelo fato dela ter mantido isso um segredo por tanto tempo. Mais ainda, ele, que se orgulhava de ser um homem correto e honesto, foi então arrastado para uma vida de sigilo que era muito estranha a sua natureza. Isobel explicou, em meio a soluços, que ela (e sua filha) eram ligadas ao Estatuto Internacional de Sigilo, e que eles deveriam esconder a verdade sobre si dos outros, ou enfrentar a fúria do Ministério da Magia. Robert também fraquejou com o pensamento de como os locais – que eram em sua maioria uma raça austera, certinha e convencional – se sentiriam em ter um ministro com uma esposa bruxa.

O amor triunfou, mas a confiança havia sido perdida entre seus pais, e Minerva, uma criança inteligente e observadora, viu isso com tristeza. Mais duas crianças, ambos meninos, nasceram, e ambos, com o tempo, revelaram habilidades mágicas. Minerva ajudou sua mãe a explicar para Malcolm e Robert Junior que eles não podiam exibir sua magia, e ajudou sua mãe a esconder de seu pai os acidentes e embaraços que a mágica deles às vezes causavam.

Minerva era muito próxima de seu pai trouxa, cujo temperamento ela puxou mais do que de sua mãe. Ela via com dor o quanto ele lutava com a situação esquisita da família. Ela sentia, também, o esforço que sua mãe tinha para se encaixar no vilarejo trouxa, e o quanto ela sentia falta de estar com o seu tipo, e de exercitar seu considerável talento. Minerva nunca esqueceu o quanto sua mãe chorou, quando a carta de admissão para a Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts chegou no aniversário de onze anos de Minerva; ela sabia que Isobel estava soluçando não apenas com orgulho, mas também com inveja.

Carreira Escolar

Como normalmente acontece quando o jovem bruxo ou bruxa vem de uma família que batalhou com sua identidade mágica, Hogwarts foi, para Minerva McGonagall, um lugar de libertação para alegria e liberdade.

Minerva atraiu atenção incomum para si em sua primeira tarde, quando se revelou uma Hatstall. Após cinco minutos e meio, o Chapéu Seletor, que vinha oscilando entre as casas Corvinal e Grifinória, colocou Minerva na segunda. (Anos depois, essa situação foi assunto para uma brincadeira entre Minerva e seu colega Filius Flitwick, com quem o Chapéu Seletor teve a mesma confusão, mas resolveu numa direção oposta. Os dois Chefes de casa ficaram encantados em pensar que, por aqueles momentos cruciais em suas juventudes, poderiam ter suas posições invertidas).

Minerva foi rapidamente reconhecida como a estudante que mais se destacava em seu ano, com um talento particular em Transfiguração. Ao progredir na escola, ela demonstrou que havia herdado os talentos de sua mãe e o senso moral de ferro de seu pai. A carreira escolar de Minerva desencontrava por dois anos a de Pomona Sprout, mais tarde Chefe da Casa Lufa-Lufa, e as duas mulheres tiveram uma ótima relação tanto na época quanto anos mais tarde.

Ao final de sua educação em Hogwarts, Minerva McGonagall atingiu um record impressionante: notas máximas em seus NOMs e NIEMs, Monitora, Monitora Chefe, e vencedora do prêmio Revelação Mais Promissora em Transfiguração. Com a orientação de seu professor inspirador de Transfiguração, Alvo Dumbledore, ela conseguiu se tornar uma Animaga; sua forma animal, com suas marcas distintas (gato malhado, com a marca de um óculos quadrado em volta dos olhos) foi devidamente registrada no Registro de Animagos no Ministério da Magia. Minerva era também, assim como sua mãe, uma talentosa jogadora de Quadribol, apesar de uma queda feia em seu último ano (uma falta durante um jogo Grifinória versus Sonserina que decidiria o vencedor da Copa) tê-la deixado com uma concussão, diversas costelas quebradas e um desejo que durou a vida toda de ver a Sonserina ser massacrada num campo de Quadribol. Apesar de ter desistido de Quadribol ao sair da Escola, a professora inatamente competitiva desenvolveu mais tarde um grande interesse nas vitórias do time de sua casa, e manteve um olhar para talento em Quadribol.

Traduzido por: Ismael Philip em 05/09/2011.
Revisado por: Bruna Thalenberg em 05/09/2011.
Postado por: Daniel Mählmann em 11/09/2011.

Capítulo 08

Jovem Coração Partido

Depois de se graduar em Hogwarts, Minerva retornou para casa para aproveitar o último verão com sua família antes de se mudar para Londres, onde lhe tinha sido oferecido um emprego no Ministério da Magia (Departamento de Aplicação de Leis Mágicas). Esses meses serviram para que Minerva passasse por uma das maiores dificuldades de sua vida, com apenas 18 anos, quando ela provou ser filha de sua mãe, apaixonando-se perdidamente por um trouxa.

Foi a primeira e única vez que Minerva McGonagall perdeu a cabeça na sua vida. Douglas McGregor era o bonito, inteligente e engraçado filho de um fazendeiro local. Embora fosse menos bonita que Isobel, Minerva era inteligente e delicada. Douglas e Minerva compartilhavam o mesmo senso de humor, sabiam argumentar, e suspeitavam de algum segredo um no outro. Antes que qualquer um dos dois percebesse, Douglas estava ajoelhando em um campo lavrado, pedindo Minerva em casamento, e ela aceitou.

Ela foi para casa com a intenção de contar a seus pais sobre seu noivado, mas descobriu que era incapaz de fazê-lo. Ela passou a noite inteira acordada pensando em seu futuro. Douglas não sabia o que ela, Minerva, era de verdade, da mesma forma que seu pai não soube nada sobre Isobel até que eles tivessem se casado. Minerva havia visto de perto o tipo de casamento que ela teria ao se casar com Douglas. Seria o fim de todas as ambições que ela tinha; significaria uma varinha escondida, crianças obrigadas a mentir até mesmo para o próprio pai. Ela não se enganou pensando que Douglas McGregor a acompanharia até Londres, onde ela iria passar todos os dias trabalhando no Ministério. Ele estava pensando em herdar as terras do pai.

No outro dia bem cedo, Minerva fugiu da casa de seus pais e foi até Douglas para dizer-lhe que ela havia mudado de ideia, e que não poderiam se casar. Tendo em mente de que se quebrasse o Estatuto Internacional de Sigilo em Magia ela perderia sua vaga no Ministério, ela não podia dar a ele nenhuma razão decente sobre sua mudança. Ela o deixou devastado, e partiu para Londres três dias depois.

Carreira no Ministério

Embora sem dúvida seus sentimentos sobre o Ministério da Magia estivessem carregados pelo fato de ela recentemente ter sofrido uma crise amorosa, Minerva McGonagall não gostou muito de sua nova casa e seu ambiente de trabalho. Alguns de seus colegas tinham umas idéias anti-trouxas muito enraizadas, que, pela sua adoração por seu pai trouxa e seu amor por Douglas McGregor, ela achava deplorável. Embora seu chefe, o idoso Elphinstone Urquart, achasse que Minerva era uma funcionária talentosa e eficiente, ela estava infeliz em Londres e sentia falta da Escócia. Finalmente, depois de dois anos no Ministério, foi-lhe oferecida uma promoção muito prestigiosa, que ela recusou. Ela mandou uma coruja para Hogwarts, perguntando se não poderia ser considerada para o cargo de professora. A coruja voltou em questão de horas, oferecendo-a uma vaga no departamento de Transfiguração, sob o Chefe de Departamento Alvo Dumbledore.

Amizade com Alvo Dumbledore

A escola deu as boas vindas a Minerva McGonagall com prazer. Ela se jogou de cabeça no trabalho, provando ser uma professora rígida porém inspiradora. Ter cartas de Douglas McGregor guardadas em uma caixa debaixo de sua cama – ela se dizia firmemente – era melhor do que ter sua varinha trancada lá. Ainda assim, foi um choque saber através de uma carta enviada por Isobel (no meio de outras notícias locais) que Douglas havia se casado com a filha de outro fazendeiro.

Alvo encontrou Minerva aos prantos em sua sala de aula tarde da noite e ela contou toda a história a ele. Alvo ofereceu-a conforto e conselhos, e contou a Minerva algumas histórias de sua família que ela antes desconhecia. As confidências trocadas aquela noite entre estas duas personagens intensamente reservadas e individuais formaram as bases para uma mútua estima e amizade duradoura.

Traduzido por: Ismael Philip em 02/09/2011.
Revisado por: Marina Anderi em 05/09/2011.
Postado por: Daniel Mählmann em 16/09/2011.