Retratos de Hogwarts

Os retratos de Hogwarts podem falar e se mover de quadro em quadro. Comportam-se de acordo ao tema do retrato. No entanto, o grau pelo qual podem interagir com as pessoas ao serem observadas depende não somente da habilidade do pintor, mas também do poder da bruxa ou mago pintado.

Ao fazer um retrago mágico, o artista bruxo ou bruxa fará uso de seus encantamentos para certificar-se que a pintura poderá se mover como de costume. O retrato poderá utilizar algumas frases favoritas do sujeito, além de poder imitar sua conduta em geral. Portanto, o retrato do Sir Cadogan sempre estará desafiando pessoas para lutar, caindo do seu cavalo e comportando-se com um tanto de desequilíbrio, já que é da forma que o sujeito se apresentou perante o pobre mago que teve que fazer seu retrato. Por outro lado, o retrato da Mulher Gorda continua a satisfazer sua paixão pela comida, bebida e segurança de ponta muito depois de ter falecido.

Porém, nenhuns destes retratos seriam capazes de ter uma conversação mais a séria em relação a aspectos mais complexos de suas vidas já que são literal e metaforicamente bidimensionais. Apenas são representações dos sujeitos vivos como percebidos pelo artista.

Alguns retratos mágicos são capazes de interagir mais com o mundo real. Tradicionalmente, um retrato de um diretor ou diretora é feito antes de suas mortes. Uma vez o retrato estiver completo, o diretor ou diretora em questão o mantém guardado com cadeado e chave, visitando-o dentro do seu armário (caso o deseje) para ensiná-lo a agir e comportar-se igual a eles, transmitindo todo tipo de memórias úteis e conhecimentos que podem ser compartilhados ao longo dos séculos com seus sucessores.

O vasto conhecimento e introspecção contidos em alguns dos retratos de diretores e diretoras são desconhecidos para todos menos os incumbentes do escritório e os poucos alunos que têm notado, ao longo dos séculos, que a aparente sonolência dos retratos quando chegam visitantes ao escritório não é necessariamente genuína.

Traduzido por: Gloria Scaroni em 16/04/2013.
Revisado por: Marina Anderi em 23/04/2013.
Postado por: Daniel Mählmann em 11/01/2013.