fbpx
Pages Menu
Categories Menu

Franco Bryce

Harry Potter e o Cálice de Fogo

Capítulo 01

Franco Bryce é um trouxa que mora em uma casa em condição precária nos terrenos da casa dos Riddle. Um veterano de guerra, ele tem uma perna dura e uma grande antipatia por multidões e barulhos altos.
Franco é o jardineiro da casa dos Riddle. Ele está próximo de seu aniversário de 77 anos, e é muito surdo.

Cinquenta anos atrás, Franco foi preso pelo assassinato da família Riddle. Ele insistiu várias vezes que era inocente, mas não foi até que o relatório sobre os corpos dos Riddle foi divulgado, que afirmou que os corpos dos Riddles não haviam sidos obviamente prejudicados (até onde os médicos legistas podiam ver), que ele foi libertado. Franco afirmou ter visto um menino adolescente pálido e de cabelos escuros, um estranho, perto da casa no dia do assassinato, mas a polícia não creditou nele.

Franco permaneceu na casa dos Riddle depois que a polícia foi forçada a liberá-lo. Ele ficou para cuidar do jardim para as próximas famílias que vieram morar na casa dos Riddle, apesar de nenhuma família ter ficado por muito tempo. O proprietário atual da casa não mora lá, mas continua a pagar Franco para os serviços de jardinagem.

Franco é acordado em uma noite de verão por sua perna ruim, que está doendo mais em sua idade avançada. Em pé diante da pia de sua cozinha, Franco vê luzes brilhando nas janelas superiores da casa dos Riddle, e acha que alguns garotos invadiram a casa novamente e iniciaram um incêndio. Ele tem uma profunda desconfiança na polícia desde a morte da família Riddle, então ele caminha em direção à casa sozinho para investigar.

Franco entra na cozinha da casa dos Riddle, e caminha em direção ao corredor principal no escuro. A grossa camada de poeira nos degraus abafa o som de seus pés e sua bengala, e ele sobe as escadas até o andar de cima. A porta ao fim do corredor está entreaberta, e Franco vê através da abertura estreita que o fogo foi aceso na lareira. Ele consegue escutar duas vozes, uma fria e aguda, e outra tímida e temerosa, e escuta a conversa deles. Quanto mais ele escuta, mais confuso Franco se torna – ele ouve uma referência a ‘Quadribol’, uma palavra que ele não reconhece, e ‘Ministério da Magia’. Quando Franco percebe que o homem com a voz fria assassinou uma mulher, ele sabe que precisa ir até a polícia, mas permanece onde está, congelado no lugar enquanto escuta. Ele fica paralisado de medo quando uma cobra gigante passa por ele no corredor, entrando na sala. Quando os homens percebem que Franco está lá, eles acenam para que ele entre na sala; embora profundamente abalado, ele aperta firmemente sua bengala e manca sobre a soleira.

Ele caminha corajosamente até o homem com a voz fria, embora não possa ver seu rosto, pois o homem está sentado em uma poltrona e Franco só consegue ver a parte de trás dela. Franco grita de terror quando a coisa na poltrona que Franco assumira ser um homem finalmente se revela. Ele grita tão alto que nunca chega a ouvir as palavras proferidas por ele. Há um som e um flash de luz verde e Fraco dobra-se, morto antes mesmo de atingir o chão.

Traduzido por: Aline Michel em 11/10/2013.
Revisado por: Mari Trevisan 17/10/2013.
Postado por: Daniel Mählmann em 15/01/2014.